4 de December, 2019
Alberto Vasconcelos
Personal Trainer e Preparador Físico de Futebol de 28 anos, natural do Porto. Para além de treinar, gosta de ler, estudar, ir ao cinema e viajar.
Natural de
Porto
Idade
28
Altura
1,82 m
Peso
80 kg
Quando é que começaste a ter cuidado com a tua forma física e o que te levou a começar a treinar?
Desde criança que estou ligado ao desporto. A primeira modalidade que pratiquei foi Natação (entre os 5-10 anos) e mais tarde Futebol (já na adolescência). No entanto, apesar do gosto pelas modalidades, não cheguei a integrar a alta competição. Tinha 16 anos quando entrei pela primeira vez numa sala de musculação e segui um plano de treino. Comecei por acompanhar o meu pai nas idas ao ginásio, que estava a recuperar de uma cirurgia. Esta dinâmica tornou-se rotina a partir do momento em que eu vi a persistência de dois sócios em particular, que estavam no ginásio todos os dias e que serviram de inspiração para mim. Com esses dois exemplos aprendi que “mais vale evolução lenta e certa, do que rápida e errada” e que mesmo na adversidade (limitações físicas) e facilidade (genética), a persistência era imprescindível para vencer independentemente da nossa condição. Na faculdade estudei Economia, apesar de ser uma área que eu aprecio, não era aquilo que me "fazia levantar da cama". Quando estudava nessa área, levantava-me cedo, mas o que eu carregava às costas era o saco do ginásio em vez da mochila para me dirigir à faculdade. 🙂
E atualmente, o que te motiva a treinar?
Eu vejo o treino, a par de muitas vertentes das quais um ser humano deve integrar, como um desafio a ser melhor. Acredito que a entrega que damos - seja num treino pessoal, treino de plantel ou aula grupo ou particular - transmite muito daquilo que somos.

Motiva-me a evolução e a mudança para melhor, seja a nível físico ou mental. Motiva-me saber que mudei a vida de alguém com um simples "Bom dia Alberto, já consigo vestir aquelas calças que não usava há 5 anos!" ou "Desde que comecei a treinar contigo, nunca mais senti aquelas dores que sentia!". Por vezes, somos tão associados a uma balança, a repetições e a séries, que nos esquecemos que a qualidade de vida nem sempre é transmitida por números.

A um título mais pessoal, procuro que o treino me ajude a perceber até onde e como posso chegar da forma mais correcta ao meu objetivo, quando devo descansar e, até mesmo, quando não treinar - o treino é importante, mas saber quando parar e descansar é fundamental.
Como é um dia típico para ti?
O meu dia começa pelas 8h ou 9h da manhã. Tomar o pequeno almoço descansado é metade do que eu preciso para encarar o dia. É nesse momento que eu vejo, na agenda, aquilo que eu vou "enfrentar". O meu horário pode variar, mas por norma começa pelas 9h00 e termina pelas 23h30. Durante a manhã e tarde, o meu horário é preenchido entre aulas de grupo e treino individualizado. A partir das 21h00, dedico-me ao plantel sub23 na sua preparação física e prevenção de lesões.

Tento que o meu treino seja a seguir ao almoço. É um período com pouca afluência no ginásio que frequento e um momento em que me consigo focar em mim. Costumo terminar o meu dia com uma boa ceia! Nada como chegar ao final do dia com o sentimento de dever cumprido. Lamento, mas ao contrário do que muita gente pensa, eu adoro comer! Tento manter a minha alimentação e nutrição equilibrada mas todos temos os nossos "pecados".
Como é o teu estilo de treino semanal?
A minha rotina de treino é simples e não ultrapasso os 45-60 minutos. Um bom treino não é aquele que me faz perder 2 ou 3 horas no ginásio.

Os 5 pilares essenciais no meu treino são:
  • Foco
  • Respeito pelo número de séries
  • Repetições perto da falha
  • Noção certa dos tempos de descanso
  • Alinhamentos bem executados
Não dedico um dia específico para cada grupo muscular porque a recuperação de cada grupo varia e não podemos ser tão centrados em fórmulas mágicas e standard. Por exemplo, treinei gastrocnémios (gémeos) na quarta-feira passada e ainda estão doridos, para mim não faria sentido voltar a massacrar algo que ainda não recuperou. São estas pequenas noções que temos de ter, treinar é importante mas respeitar o que o nosso corpo nos transmite durante a recuperação é fundamental. Neste momento treino em três espaços: Solinca Dragão, Fitness Up Antas e The Clutch PT.
Quais são os teus hábitos alimentares?
A vertente alimentar e suplementação está toda a cargo de um profissional na área da Nutrição em quem confio. A minha formação não passa por isso, apesar de ter algumas noções daquilo que devo comer, o nutricionista é quem pega em mim, avalia, prescreve e me leva ao objetivo pretendido. Eu não tenho cheat day, já tive, hoje em dia opto por uma alimentação equilibrada. Se tiver de "pecar" aqui ou ali, faço-o sem remorsos pois sei que o resto do dia vou cumprir com o meu compromisso. Na vida tudo é uma questão de equilíbrio.
Que influência tem o treino na tua vida?
Vejo o treino como um identificador de traços de personalidade. Através do treino conseguimos identificar se somos coerentes, persistentes, se vamos à luta quando a resistência é maior, se estamos disponíveis para evoluir e sair da zona de conforto em busca de uma melhoria da nossa condição física. Através do treino conseguimos perceber se queremos mesmo mudar, ou se estamos ali, como dizem, por moda. A saúde nunca foi moda, nem irá ser. O nosso cuidado na componente do treino deve ser integrado na educação e formação dos nossos valores e rotinas saudáveis.

Se eu escovo os dentes por questões de higiene e prevenção de problemas associados à saúde oral (e não só…) por que é que não treino três vezes por semana para prevenir problemas, por exemplo, articulares ou cardiovasculares no futuro?
Que música ouves enquanto treinas?
Se soubesses o que sabes hoje, terias feito alguma coisa diferente?
Não sou o que sou hoje sem o meu "Eu" do passado. Quanto mais nós erramos, mais perto estamos do caminho certo. A experiência é isso mesmo: ver o erro e encontrar a solução.
Algum conselho para quem esteja a começar?
Prefiro deixar um conselho para quem ainda não treina: Está na hora de parar de pensar no treino como uma solução quando o problema já está instalado e de começar a encarar o exercício físico como prevenção de condicionantes futuras. A saúde é uma razão mais do que evidente para integrar o exercício físico na nossa rotina diária.

Nenhuma app, livro ou blog me incentiva mais do que a seguinte citação: "Hoje não é mais um dia, é menos um dia". Neste lugar ao qual chamamos Terra, cabe-nos a nós mesmos decidir se queremos viver os dias que faltam com a qualidade que dizemos, ou fazemos por, merecer.
Se só pudesses escolher um qual seria?
Treino
Perna
Desporto/Modalidade
Futebol ⚽️
Exercício
Agachamento
Snack saudável
Queijo Light
Suplemento
Creatina
Cheat Meal
Francesinha
Alguma coisa que queiras promover?
O meu instagram, @alberto.de.vasconcelos.
Partilha esta entrevista
Mais entrevistas 👇
21 de Nov, 18
Eduardo Xavier
A sua paixão é o boxe, mas não dispensa também um treino ao ar livre. Natural de Guimarães, com 29 anos é empresário na área da restauração, sócio da cadeia de restaurantes…
5 de Nov, 19
Gonçalo Estêvão
Atleta de Men’s Physique de 26 anos, natural de Faro. A paixão pelos treinos e a vontade em aprender sempre mais, motivou-o a tirar o curso de Personal Trainer.
7 de Nov, 18
Miguel Macedo
Natural de Fafe, é instrutor de Fitness no Solinca em Guimarães. Adora viajar, motos, gastronomia e de um bom serão entre amigos, a partilhar histórias à volta de uma mesa cheia.
Recebe em primeiro lugar entrevistas como esta com Diana Souza.
Recebe em primeiro lugar as novas entrevistas e novidades.
Inscreve-me